terça-feira, 24 de agosto de 2010

Lembra-te de mim - Capitulo 20.


Lembra-te de mim - Capitulo 20.

Logo no dia seguinte, decidi começar as cartas para a minha família .
Chamei toda esta etapa de : Um ultimo adeus . Na verdade eu apenas estava a preparar a minha partida, sem magoar alguém .
Deveriam ser umas 9/10 h da manhã quando me sentei ao lado da gruta, num espaço de grande vegetação, que me dava uma enorme tranquilidade , e achei o local perfeito para comunicar com os meus entes queridos.
Agora que sabia quase com exactidão onde era a saída daquele bosque , decidi enviar-lhe alguma coisa para que não desesperem mais .

* * *

" Queridos pais ,

Eu sei que será um espanto enquanto lerem estas frases , mas na verdade sou mesmo eu , a Margarida .
No dia que tudo aconteceu , fomos levados para um barracão , e não faço ideia de onde é situado geograficamente . Os assaltantes acabaram por fugir , com medo de que alguém viesse ao nosso encontro , e nos por contra-partida , fugimos também , e situa-mo-nos numa Gruta +/- longe do tal barracão , perto de um lago .
Em relação ao que aconteceu , acho que sabem o essencial . Agora quero falar-vos de outras coisas , aquelas situações que nos apertam no coração e sufocam tanto..
Não meus queridos pais , eu nunca me vou esquecer do quanto eu fui amada naquela casa ! Sei perfeitamente que é uma dor incontrolável ver-me partir. Eu vou sentir tantas , mas tantas saudades de quando era pequenina , e fazia aqueles bolos , com a mamã , que tudo ia para o chão , e ela apenas me 'punia' com um beijinho na testa e umas palavras encorajadoras como : « Um dia vais conseguir ser uma óptima cozinheira , vais ver ! » , ou quando ia com o papá lavar o carro , e quem tomava banho era-mos nos os dois ! E ele apenas se ria e divertia comigo . Que quando foi o primeiro dia de aulas, vocês estavam ainda mais nervosos que eu que até deixaram o numero as funcionárias caso me vissem triste ! Agora eu pergunto , como ? Como vou eu esquecer tudo isto e ir ? Dói muito , tanto que os olhos ardem , que já não existe mais água para jorrar.
Vocês ensinaram-me o grande segredo de viver : Bastava amar !
Sabiam bem do que falavam.. e agora que encontrei quem amo de verdade , vivi . Finalmente eu vivi , depois de tantos anos .
Quero agradecer-vos do fundo do coração , por tudo o que nesta vida fizeram por mim .
E dizer-vos que sinto muita falta dos carinhos, dos beijinhos que me davam antes de adormecer , e que ninguém vos substitui . Até um dia meus queridos pais ! Eu ficarei bem , prometo ! Amo-vos .

obs: A próxima carta que receberem quero apenas que deixem o Martim ler . Sei que ainda lhe custa a ler , mas vou ser o mais ' simples ' possível nas palavras . Prometam que só ele vai ter acesso a carta .

Com eterno amor ,
Até um dia ,
Margarida.

- continua..

Sem comentários:

Enviar um comentário

- Espero que tenhas gostado do meu texto, ao comentar gostaria que mostrasses a tua opinião. Obrigada beijinho :)